sábado, 12 de setembro de 2015

Festa de Tiro de Rei (Schuetzenfest).

Uma das marcas registradas das regiões de colonização alemã no sul do Brasil é a manutenção de práticas culturais centenárias, muitas das quais introduzidas pelos primeiros colonos de língua alemã assentados durante o século 19. As sociedades de atiradores (Schuetzen-Vereine) e suas tradicionais festas de tiro de rei (Schuetzenfest) são exemplos deste patrimônio cultural que influencia nas memórias e nas identidades destes lugares, que hoje abrigam cidades, tais como Blumenau, Jaraguá do Sul, Joinville e São Bento do Sul (OLIVEIRA NETO, 2012).

As origens das agremiações de atiradores estão situadas na Europa Ocidental medieval. Elas chegaram ao Brasil com os primeiros imigrantes alemães, durante a primeira metade dos oitocentos, como por exemplo, em Santa Catarina, conforme relatam Petry (1982) e Soares (2002). O ponto alto do calendário dos clubes de tiro, como também são conhecidos, é atingido durante a festa do Tiro de Rei. Nela, entre bailes e banquetes, há a prova de Tiro de Rei, cujo vencedor é aclamado "Rei do Tiro". O cartão postal que ilustra esta publicação é, certamente, um registro de uma destas celebrações, registrada pelo fotógrafo Fritz Hofmann, em JoinvilleSanta Catarina.

*
*   *

Cartão postal não-circulado, produzido pelo atelier do fotógrafo Fritz Hofmann, em Joinville, Santa Catarina. Sine die. Provavelmente, trata-se do registro de uma celebração de Tiro de Rei, em que aparecem os atiradores de dois clubes de tiro (de Joinville?), diferenciados pelos uniformes que vestem e pelas bandeiras que ostentam. Destaque para o caráter miliciano das sociedades de atiradores que, entre os oitocentos e a primeira metade do século 20, usavam uniformes semelhantes aos uniformes militares da época.

Figura 1: frente do cartão postal. Coleção: Wilson de Oliveira Neto.

Referências citadas:

OLIVEIRA NETO, W. O tiro e seus clubes em São Bento do Sul, Santa Catarina: origens, trajetórias e tradições de um patrimônio cultural. In: LAMAS, N. C.; MARMO, A. R. (orgs.). Investigações sobre arte, cultural educação e memória: coletânea. Joinville: UNIVILLE, 2012.
PETRY, S. M. V. Os clubes de caça e tiro na região de Blumenau: 1859 - 1981. Blumenau: Fundação Casa Dr. Blumenau, 1982.
SOARES, D. Folclore catarinense. Florianópolis: USFC, 2002.

Um comentário:

  1. Gostei da pegada do blog.
    Depois irei ler com mais atenção.
    Parabéns!

    ResponderExcluir